O CRISTÃO E O HALLOWEEN

No final de outubro de todos os anos, observamos na sociedade e nos meios de comunicação, principalmente nos Estados Unidos, a repercussão do dia das Bruxas, o chamado Halloween. Pessoas esperam para festejar essa data em festas a fantasia, que prometem muita alegria e confraternização. Nos EUA, essa data para além de um traço cultural é celebrada em todo o país. Todos os lugares são cobertos de enfeites acerca da temática do dia das Bruxas. Essa repercussão é tão marcante que chega a alcançar às igrejas, e é nesse ponto que vamos focar esse artigo.

Primeiramente, gostaria de destacar que a igreja é (ou deveria ser) a noiva de Cristo, aquela que vai ser levada com Ele para celebrar as Bodas do Cordeiro, essa igreja é a que o Senhor vem buscar, a que o adora em espírito e em verdade. Entretanto, no meio dessa igreja estamos vendo grande parte literalmente perdida, em alguns casos pela adequação aos padrões do mundo, em outros pela falta de conhecimento. Sendo assim, muitas igrejas tem usados seus templos para celebrar festas de origem pagã com a desculpa dessa ser um “traço cultural” do povo.

No início dessa semana, fiquei impressionada ao saber que grande parte das igrejas norte-americanas celebram o Halloween. Muitas delas realizam cultos festivos com enfeites temáticos e bricadeiras relacionadas à temática. Tendo em vista isso, veio os seguintes questionamentos na minha mente: como pode o templo de Deus ser usado para adorá-lo numa comemoração de espíritos maus? Seria inocente celebrar uma festa a demônios em um culto a Deus?

Apesar da aparência inofenciva dessa data, vale ressaltar o real sentido dela. O Halloween possui origem Celta, surgindo a partir das festas pagãs de Samhain, as quais eram realizadas por meio da crença de que as almas dos mortos visitariam as casas. Em Deuteronômio 18:10-12, a bíblia adverte: “Entre ti não se achará […] nem feiticeiro, […] nem quem consulte os mortos; Pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao Senhor […]”. Sendo assim, observamos que muito além de uma simples “festa”, tal costume é abominação ao Senhor.

Outro ponto a ser destacado, é a utilização das simbologias empregadas na comemoração. É comum os enfeites de zumbis, fantasmas e bruxas, dentre outros. O que é mau nessa festividade é visto como engraçado, mas não devemos nos deixar levar por isso, pois em vez de comemorarmos com espíritos maus, devemos combatê-los. Em Efésios 6:12, o apóstolo Paulo explicitou qual é a nossa real luta “contra os principados e potestades, contra os dominadores desse mundo tenebros, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes”. Então, vamos combatê-los ou celebrar com eles?

Tanto a feitiçaria, quanto o culto aos mortos são abomináveis perante o Senhor (Lv 20:27). Assim, não sejamos enganados pelas coisas que estão no mundo. Não podemos nos conformar (Rm 12:2). Efésios (5:11) nos instrui que não devemos participar “das coisas sem valor que os outros fazem, coisas que pertencem à escuridão”. Isso significa que não devemos celebrar o que vem das trevas.

Que o Senhor abra o nossos olhos para  conhecimento! Que Deus nos abençoe!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s